Honras a Jagad Vicitra Dasa

A Assessoria de Comunicação da ISKCON – Bahia
Compartilha
* Honras ao Prabhu Jagad Vicitra Dasa.

A diretoria do Conselho Governamental Brasileiro (CGB) da Sociedade Internacional para Consciência de Krishna (ISKCON) tem a honra de apreciar e agradecer os serviços de Jagad Vicitra Dasa prestados à missão de Srila Prabhupada, ao longo de 44 anos.

*As informações abaixo sobre Jagad Vicitra Das foram reunidas com a ajuda de Dhanvantari Swami.

Jagad Vicitra Das conheceu o Movimento Hare Krishna em abril de 1973, aos 17 anos. Ao se aproximar, demonstrou iniciativa em três atividades relevantes:

Apresentou-se espontaneamente para distribuir o primeiro livro publicado alternativamente pelos devotos, Uma amostra da Verdade Absoluta. E o distribuiu enquanto um casal de devotos fazia bhajam em praça pública.
Pregou para a professora de Inglês do curso de Metalurgia e Geologia da Escola Técnica Federal da Bahia, do qual era aluno e a levou para visitar o templo.
Apresentou-se espontaneamente para pintar a casa da primeira sede alugada para um templo em Salvador. Juntou alguns amigos e primos e fizeram o trabalho.

Fez intercâmbio na Califórnia, (EUA) e costumava visitar o templo de Laguna Beach, onde se destacou como “bom visitante”. Lá, conheceu Hridayananda Maharaja, um pouco antes deste vir pela primeira vez ao Brasil em dezembro de 1974. Jagad Vicitra retornou ao Brasil em maio ou junho de 1975 e logo foi viver como bhakta e brahmacari no templo da ISKCON São Paulo, em sua primeira sede, uma casa alugada no bairro Butantã.

Ocupava-se em distribuir os livros e se distinguiu entre aqueles com melhor resultados numéricos. Foi à Índia em 1976 para o festival de Gaura Purnima, quando foi iniciado diretamente por Srila Prabhupada, no templo de Krishna Balarama, em Vrindavana, no dia 6 de março de 1976.

Ficou na Índia por nove meses integrando o recém projeto viageiro a pé, descalço e em carro de boi, de vila em vila do interior da Índia, liderado por Lokanatha Swami. Mais tarde este projeto ganhou o nome de Pada Yatra.

Foi para a Europa em dezembro de 1976. A princípio ficou na Inglaterra e posteriormente seguiu em viagens de distribuição de livros por diversos países. Participou da abertura do templo de Barcelona, Espanha, em 1977. Ainda em 1977 foi para a Venezuela, onde continuou ocupado prioritariamente em distribuição de livros. Em Caracas, reencontrou-se com Hridayananda Maharaja, GBC para toda a América Latina incluindo o Brasil, e que pediu-lha para retornar a seu país.

Retornou ao Brasil, para o templo da ISKCON São Paulo, na época com sede na rua Pandiá Calógeras, no bairro Liberdade. Idealizou e liderou um grupo de distribuição de Bhagavad-gita grande, tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro e alcançou excelentes resultados.

Encontrou-se mais uma vez com Hridayananda Maharaja, desta vez em Belo Horizonte. e dessa vez pediu-lhe para retornar ao Nordeste para abrir o Templo de Recife.

Chegou então o dia 14 de novembro de 1977. o igualmente auspicioso e tristíssimo dia do desaparecimento de Srila Prabhupada…

Hridayananda Maharaja voou para a Índia, e Prabhu Vicitra saiu de Belo Horizonte para Salvador, chegando lá provavelmente no dia 15 ou 16 de novembro de 1977. Ficou em Salvador cerca de dois ou três dias, e em seguida partiu para Recife. Provavelmente, que seja o primeiro Yatra do mundo a ser aberto oficialmente pela ISKCON após o desaparecimento de Srila Prabhupada.

Em 1978, já casado, Vicitra tornou-se o Secretário Regional do GBC para o Norte e o Nordeste e formou equipes de distribuição de livros e administração. Abriu Templos e viajou incessantemente de Recife a Manaus e de Manaus a Recife. Com a ajuda de devotos dedicados, membros de sua equipe, e com a cooperação de sua esposa, Vicitra abriu templos em Fortaleza, Belém e Manaus, muitos centros culturais como os de Natal, João Pessoa, São Luis, Campina Grande. Cobriu amplamente as regiões Norte e Nordeste com intensa distribuição de livros, prasada, festivais, harinamas, teatro de rua, no templo, em colégios e faculdades…

Em 1979, o yatra da ISKCON em Salvador foi integrado à sua zona como Secretário Regional do GBC no Brasil. Em seguida, passou a se destacar na distribuição de livros.

Jagad Vicitra Das liderou a instalação de Deidades de Gaura Nitai em Recife, Salvador, Fortaleza e Manaus. Bem como a abertura de restaurantes em Belém, Fortaleza, Campina Grande e Manaus.

Uma característica sempre muito marcante na maneira de Prabhu Jagad Vicitra apresentar a Consciência de Krishna era o respeito e consideração aos pais dos devotos. Da mesma forma, com vizinhos dos Templos e autoridades locais, como Delegados de Polícia e políticos.

Em 1984 ele e sua equipe instalaram as Deidades de Radha Govinda em Recife. Logo depois, ele e sua equipe instalaram Jagannatha, Baladeva e Subhadra em Salvador.

Em 1987, Jagad Vicitra formou a Comunidade Nova Vraja Dhama, conhecida hoje como “Ecovila Vraja Dhama, Comunidades sem Porteira”, em terras de propriedade da Fundação Bhaktivedanta. Para onde foi transferida a sede oficial da ISKCON Norte e Nordeste.

Em 1996 , Jagad Vicitra liderou o projeto internacional Pada Yatra em homenagem ao centenário de Prabhupada. “Caminhando e cantando”, distribuiu livros, prasada e água potável, pelas vilas e cidades do interior de Pernambuco e Paraíba com as Deidades de Gaura Nitai e muitos devotos. O que causou repercussão muito positiva para a imagem do Movimento Hare Krishna de Srila Prabhupada nessa região.

Atualmente, Jagad Vicitra Dasa vive com a família em Ibicoara, na Chapada Diamantina, BA, onde desenvolve um projeto de pousada alternativa, consciente (sem uso de álcool, drogas e tabaco). Também mantém um centro cultural, onde reúne pessoas e apresenta a Consciência de Krishna.

Enfim, é impossível falar pouco do histórico do serviço de prabhu Jagad Vicitra Dasa à missão de Srila Prabhupada. Mas ainda falta o depoimento de quem melhor poderia apreciar este serviço, o irmão Dhanvantari Swami:

“Se observarmos as diferentes crises econômicas que o Brasil passou, e em especial o Nordeste, desde a ditadura, quando a ISKCON começou no Brasil, até hoje em dia, o serviço de Vicitra foi fenomenal. Ele era muito jovem, “filhinho do papai”, não tinha quase nenhuma experiência de vida, jamais trabalhou no mundo material, ou fez uma faculdade. Toda sua capacidade de trabalho e serviço devocional veio de seu próprio recurso de se render às autoridades de Prabhupada e HDG.

Ele é um cordelista gosta de escrever versos em cordel. Escreveu algumas histórias do SRimad Bhagavatam, mas publicou uma versão nesse estilo do Sri Isopanisad em livro e CD.

Como observador da história do movimento no Brasil, vejo que até hoje em dia, o Movimento no Nordeste guarda as vantagens de ter sido liderado por um devoto que respeitava as pessoas, sua cultura e sua privacidade.

Como um líder na ISKCON, ele é conhecido por ter sido inflexível em alguns conceitos, mas, considerando sua formação incompleta [devido à idade com a qual entrou e a falta de acompanhamento no desenvolvimento humano do devoto daquela(s) geração(ões)], acho que ele conseguiu estabelecer o Movimento no Norte e Nordeste entre as instituições respeitadas pela sociedade secular, pelos vizinhos e pelos pais de devotos. Coisa que não se pode ver facilmente em outras partes.

Apesar das tradições familiares serem tão acirradas no Nordeste, foi nesta região que menos escândalos aconteceram, e onde, até hoje se pode identificar devotos e devotas comuns, bem como líderes cujas famílias realmente respeitam o Movimento. Bem, é isso aí.”

* Secretaria de Comunicação da ISKCON – Brasil.

“Todas as Glórias as Devotas e Devotos Reunidos”
Salvador, 11 de Julho de 2017.

Link permanente para este artigo: http://iskconbahia.com.br/honras-a-jagad-vicitra-dasa/